Inicio / Destaque / JUSTIÇA: Mesmo condenado, “Nenzão” continua como presidente de partido em Vilhena

JUSTIÇA: Mesmo condenado, “Nenzão” continua como presidente de partido em Vilhena

O ex-vereador do município de Vilhena, Arlindo de Souza Filho, popularmente conhecido como “Nenzão”, mesmo condenado a mais de 10 anos de afastamento dos serviços públicos, continua atuando como presidente do PDT (Partido Democrático Trabalhista) em Vilhena.

O Juiz de Direito Andresson Cavalcante Fecuri da 1ª Vara Cível de Vilhena condenou e o Tribunal de Justiça do Estado de Rondônia julgou procedente a ação movida pelo Ministério Público de Rondônia contra o ex-vereador Arlindo de Sousa Filho, mais conhecido como “Nenzão“ acusado de vantagem imoral e indevida, enriquecimento ilícito e improbidade administrativa.

“Nenzão” enquanto vereador de Vilhena ficava com a maior parte dos salários dos seus assessores Paulo César da Silva, Deocleciano Eugênio Carvalho e Cláudia Regina Ribeiro.

O ex-vereador “Nenzão” foi condenado a pagar multa de 50 vezes o valor do salário que recebia quando era vereador, e proibido de assumir qualquer cargo ou função pública direta, indireta ou fundacional, ainda que transitória e sem remuneração, ou qualquer outra forma de investidura ou vínculo, mandato, cargo emprego ou função na administração pública direta e indireta dos entes da federação dos podres estatais.

Além da sentença, consta em desfavor de “Nenzão”, o estatuto do partido o qual hoje é presidente e a Lei dos Partidos Políticos (Lei nº 9.096/95). O estatuto do PDT, em seu Artigo 5º diz que a desfiliação partidária se dará nos casos de perda dos direitos políticos. Já a Lei 9.096/95 diz em seu artigo 22º que também será decretado o cancelamento da filiação partidária imediatamente em casos de perda dos direitos políticos.

 

Fonte: Redação Rota Policial News

Foto: Divulgação

Comente com facebook

comentarios

Sobre ANTONIO

Além disso, Veja

Mulher desfere facada no tórax de marido durante briga de casal em Vilhena

Homem conseguiu carona até o pronto socorro do Hospital Regional e disse não querer representar …